EN OTRO IDIOMA

EN OTRO IDIOMA

Sáb, 28 Mai – 16h40
Níger faz “apelo angustiado” por comida

NIAMEI (Reuters) – O Níger, país da África Ocidental, fez um apelo neste sábado por doações emergenciais de comida para milhões de pessoas, passando por necessidades após um período de seca e de praga de gafanhotos.
“Nesses momentos difíceis e, para ser sincero, trágicos, eu quero fazer um apelo angustiado para a comunidade internacional ajudar com alimentos de forma emergencial”, disse o primeiro-ministro Hama Amadou ao Parlamento do país árido, sem saída para o oceano.
Cerca de 3,6 milhões de pessoas se encontram em estado crítico, necessitando doações de comida em Níger, segundo informaram as Nações Unidas na semana passada, ao pedir 16,2 milhões de dólares para enfrentar o que chamou de “uma crise silenciosa”.
Os necessitados incluem 800 mil crianças abaixo dos cinco anos de idade, das quais 150 mil têm desnutrição grave, de acordo com as Nações Unidas.
Níger, com uma população ao redor de 12 milhões de habitantes e uma expectativa de vida de 46 anos, é um dos países menos desenvolvidos e mais pobres do mundo.
A maior parte das famílias depende da agricultura de subsistência, produzindo a comida suficiente para sobreviver até a próxima colheita. Mesmo nos melhores anos, 40 por cento das crianças é mal nutrida. Uma em cada quatro crianças morre antes de chegar aos cinco anos.
O premiê Amadou disse que o governo já forneceu 42 mil toneladas de cereais com preços abaixo do mercado para ajudar os famintos, mas acrescentou que isso não é o bastante.
Aumentos de impostos, que geraram grandes protestos no início do ano, levaram os preços a subir ainda mais em um país onde a renda anual média é apenas 200 dólares.
Um grupo de organizações da sociedade civil convoca atos para a próxima quinta-feira para protestar contra a forma pela qual o governo vem gerenciando a crise.
Segundo alerta das Nações Unidas, a situação em Níger pode piorar se uma nova seca ou uma nova praga de gafanhotos ocorrerem antes da safra de 2005, prevista para depois de setembro.

Fuente : COMIN – Correio Missionário Internacional

20 Jun '05

Deja un comentario

*